À la Zeca Pagodinho.

A ideia aqui não é que passemos a julgar a nós mesmos, ou nos cobrarmos de forma pouco gentil. O exercício visa nos ajudar a perceber em quais momentos ficamos mais satisfeitos com o que vivenciamos, mesmo que não tenha sido tudo perfeito.

As linhas no que a gente veste

Vocês já sabem que a linha é um dos elementos de estilo do nosso visual junto com as cores, as formas, os volumes e as texturas, certo? Mas o quê são afinal essas linhas no que a gente veste? E para quê servem?

Vivienne Westwood: transgressão, irreverência e moda

Já faz 08 meses que essa estilista incrível nos deixou, mas queremos eternizar ela aqui.

Uma singela homenagem a alguém cujas ideias e ações revolucionaram não só a moda mas, especialmente, a maneira de pensar de toda uma geração.

A vez do queixo

Veja se você conhece alguém que tenha essa área bem desenvolvida na face, cujo queixo seja projetado quando visto de lado, ou longo no seu comprimento, ou ainda, bastante largo quando visto de frente. Em seguida, pense se essa pessoa também carrega uma tendência a ser determinada, intuitiva, persistente, otimista e competitiva.

Rihanna: diversidade e empreendedorismo

Para continuar com a série “Mulheres que mudaram a moda e o mundo” escolhemos Rihanna, que tem o dom de chegar chegando e assumir o protagonismo por onde passa. Você assistiu o Super Bowl de 2023, né? Pelo menos, eu sim, e só para ver essa mulher dar O SHOW. Ninguém poderia prever que, Rihanna, cantora de Barbados, teria uma entrada triunfal no mundo da moda. Ela é uma das principais referências quando o assunto é diversidade.

Coco Chanel: Estratégia de Imagem

Ela dispensa maiores apresentações. Duvido existir alguém na face da Terra que não tenha ouvido falar em Coco Chanel, independentemente da geração a que pertence. A intenção aqui é entender o que fez com que houvesse um Antes e Depois de Chanel. Tudo sob o nosso filtro, naturalmente.

Um paralelo entre sua casa e aceitação.

Acho curioso como eles confiam em mim pra levá-los em um lugar sem referência alguma, um terreno baldio ou mato-sem-cachorro e sabem que farei fotos legais, ou ainda que não saibam, esperam o melhor de mim, mas se tratando do seu lar, não há a menor chance de milagre de minha parte.

O estilo Mirabel

Ouça o barulho de um caminhão que se aproxima. Ele está dobrando a esquina lentamente, imponente na sua altura e tamanho, digno de impressionar uma criança de uns 07 ou 08 anos. Antes mesmo de estacionar a criançada já estava em volta, saudando-o numa alegria contagiante. E o que tem nesse caminhão?