Uma viagem no tempo.

De aplicativos que mudam nossa cara à construções sociais sobre o tempo. E um pouco de gafes no trabalho. Tudo regado à muita risada, pizza e uma sensação gostosa de estar com gente de verdade, sem a necessidade de usar armaduras. Assim comemoramos mais um ano de The Blog Project e o encerramento do ciclo 2022 (esse segundo sem o peso de não ter batido algumas metas já que entendemos que o ANO é algo criado pra gente ter uma noção temporal mas definitivamente não precisa ser uma sangria desatada pra concluir tudo o que se propôs dentro dele…).

Não ter batido uma meta não significa que você fracassou, tá? Janeiro segue o baile de novo pra você alcançar seu objetivo OU mudar a rota.

Conseguir unir todos ao vivo e em cores não é tarefa fácil, as agendas, ainda mais no fim do ano, são muito movimentadas e todos somos demandados o triplo. Mas a gente não ia ficar sem uma festa da firma, né? Muito menos deixar de prestigiar o que vem se tornando o “laboratório” da nossa querida anfitriã, Dallen. Como essa mulher consegue embelezar um lugar tão rápido? Deve ser sua fome de investigar aquilo que se quer comunicar e sua sagacidade em garimpar elementos que tornem isso real. Não a toa (e modéstia a parte), considero que ela fez ótimas escolhas pra compor seu time, tanto aquele que vocês veem (e lêem rs), mas também aqueles que ficam mais “por trás dos holofotes”.

Esse texto é um pouco diferente dos outros, ele é como uma viagem no tempo, mais contemplativo e não tem tantos questionamentos e reflexões. Nele descrevo o nosso encontro através do meu olhar, não só o fotográfico, mas o meu olhar para a vida. Espero com minha escrita te fazer sentir o poder do toque, do som das vozes e gargalhadas, do sabor e da expressão facial que vem após aquela mordida numa pizza da Família Olivella.

Logo na minha chegada sou recebida pela Ana. Ela me passa algo “Branca de Neve”. Sua pele e cabelo contrastam mas ela me transmite delicadeza. Conversamos um pouco e rapidamente me abro e falo sobre algumas questões bem pessoais. Ela retribui. Gosto de não precisar usar armaduras.

Passeio pelas salas e vejo a Dallen em cada cantinho, cada decoração. Arte, reflexão. Um ambiente com uma mesa posta, é claro (talvez ela não considere mesa posta, mas eu sim) e um quadro de regras pra festa da firma.

Ainda bem que ninguém quebrou a regra “Proibido não rir”. Já a de não gostar de amigo secreto… Melhor deixar quieto. 🤣

Embelezados pela luz que entrava pelo jardim de inverno, pude ver Jonas e Sara sentados pertinho um do outro, o que facilitou notar o contraste de suas personalidades (essa era a primeira vez em que eu convivia pessoalmente por algumas horas com os dois) e as buscas no olhar um do outro que a intimidade proporciona. Sara com seu sorriso e energia que preenche o ambiente, muito direta e afiada no deboche. Jonas também é debochado, mas de um jeito um pouco mais sutil, (o que não torna menos divertido), me passava tranquilidade e acolhimento com sua fala calma.

Nos momentos em que a gravação era permitida (rs), Chris estava lá captando alguns registros. Metódico e eficiente, é bem difícil desfocar e procrastinar na presença do Chris (se você é como eu e a Dallen, precisa de um desses na tua vida). Mas não se engane, ele consegue colocar uma ordem no caos de uma forma muito sensível e empática, sem parecer um general. 😁

Como é potente a união de forças. Cada um no seu rolê, mas se juntam pra fazer acontecer. É emocionante a força do se abrir, se colocar como vulnerável (em um lugar seguro, é claro!). Essas são práticas e valores que certamente foram essenciais para algumas realizações desse ano e que queremos manter em 2023.

Esses detalhes descritos me levam à simplicidade. À beleza dos momentos cotidianos e o quanto considero importante para ser feliz a valorização desses pequenos recortes. Esse é, além de saúde, e energia pra correr atrás dos seus objetivos, o meu desejo para seu novo ano. Independente daquilo que você queira, que não te falte um olhar carinhoso pra tudo aquilo que você já conquistou e para as pequenos prazeres do dia a dia, para aquilo que nos faz sentir e torna humanos.

Eu vejo beleza aqui. 👇

Gostou do post? Compartilhe nas suas redes!

Posts relacionados

O importante é voltar.

O perfeccionismo nos impede de simplesmente continuar fazendo algo, ainda que esse feito não seja da maneira idealizada e esquecemos que, quando a gente se propõe a fazer algo novo, o que se espera é que sejamos um “bebê” nisso e o mais óbvio é que não saibamos como fazer com maestria. (Achei ótimo mudar a ideia de fracasso pra ideia de bebê, a propósito).

Leia Mais

Hora do chá.

Crescer num lar aparentemente e socialmente perfeito, onde a formação é a mais tradicional possível (um homem, uma mulher, dois filhos — sendo estes um menino e uma menina), numa casa grande, onde não falta comida e te proporciona o melhor estudo, faz parecer que o problema está em outro lugar, sabe? Dificulta um pouco essa aceitação de que um ambiente assim pode gerar um grande chá de m*rda.

Leia Mais

Todo mundo já foi criança e carrega ela dentro de si.

Fazer o exercício de olhar pra infância e resgatar algumas memórias afetivas podem nos ajudar a ressignificar um pouco do que já vivemos e trazer de volta essa energia para nossa vida. Como você brincava? Qual comida te deixava muito feliz? Que local ou passeio te empolgava? Esse pode ser um bom começo.

Leia Mais

Ainda bem que eu segui as batidas aceleradas do meu coração.

Aquilo que eu não queria aceitar estava cada vez mais materializado na minha frente, não me dando escolha de olhar para o lado. A sensação de que eu estava me encaminhando para buscar ajuda psiquiátrica era apavorante. Me descobri cheia de preconceitos, relutante para dar esse passo. O que isso diz de mim? Que falhei? Perdi? Estou traindo à minha psicóloga? Tive medo de falar com ela antes de contatar o psiquiatra. Será que não aguento mais um pouco assim? E viver “aguentando” já diz tanto.

Leia Mais

SENSUAL: QUEM É VOCÊ?

Um passo muito importante foi entender que essa sensualidade estereotipada não ia fazer parte de mim nem que eu quisesse muito…

Leia Mais

O que é ser autêntico?

O que é autenticidade pra ti? Fiquei curiosa pra entender o que significa ser autêntico pra ti e se tu sente que é autêntico na tua vida.

Leia Mais

A AMIGA DOS CARAS

Carreguei esse título durante a minha adolescência com muito orgulho. Só faltava escrever na testa. Eu não era como as outras. Sentiu,né?Sentaquelávempedrada. Na infância, me recordo de brincar com todo

Leia Mais

SOMOS IN(CON)STANTES

Olá inconstância. É sempre mais fácil lidar com você quando não está por aqui. Será que em algum momento você não está por aqui? O engraçado (ou triste) é: só

Leia Mais

Quanto pesa um NÃO?

Você tem facilidade pra dizer não? E quando diz, sente necessidade de dar mil satisfações? Negar um pedido (e impor limites) sempre foi uma questão para mim (nível de tratar

Leia Mais

Você não é seu trabalho

Seu trabalho é só um pedaço de quem você é. A gente é tão mais do que aquilo que a gente faz pra pagar as contas, mesmo que isso nos

Leia Mais

Quem escreve por aqui

Não importa se somos fotógrafos, consultores de estilo, psicólogos ou donas/os de casa. No blog, frequentemente a gente escreve sobre o que está por trás desses (e outros!) rótulos, ou seja, a própria VIDA em curso. Navegue e encontre textos inspiradores sob diferentes pontos de vista!

Amanda Baronio
Dallen Fragoso
Sara Adais
Jonas Filho
Explore

Receba minha newsletter

São 02 por mês com insights e achados preciosos sobre estilo e autenticidade.
Vou amar me conectar contigo por lá!

Copyright © 2023 | Rua Gomes Jardim, 428 - Centro - Novo Hamburgo - RS | CNPJ: 40.622.935/0001-24